sexta-feira, 24 de março de 2017

Esta semana na política.

Saudações a todos.

Permitam-me fazer uma analogia sobre a política.

Esta semana o Congresso votou e aprovou a Lei que permite a prática das Terceirizações, o que nos chocou, pois nos pegou desprevenidos, em virtude de estarmos focados na questão da Previdência.
Tal fenômeno sócio político nos mostra três visões. 

A primeira é a nossa incapacidade de acompanharmos a política nacional, por estarmos atentos a tolices cotidianas. A segunda é por não sermos disciplinados, atentos e não seguirmos as virtudes, por não termos o olhar ao redor, ensinado pelos samurais, é que permitimos os canalhas e os falsos amigos do Brasil nos atacarem, pela nossa falta de vigilância. 

E terceira, vejam honrados amigos e amigas, como nosso Congresso é composto por seres vís, egoístas e comprometidos com a manutenção do poder das oligarquias políticas e econômicas e com o alargamento do abismo entre as classes sociais e a formação de escravos, miseráveis e bandidos. Nos atacam pelas costa e em várias frentes de combate, não nos dando chance de organização e defesa.

Todos me conhecem sou um homem de centro-direita, convicto das minhas posições sócio políticas, mas não concordo com a Terceirização. E sou descrente da democracia e da República. Mas não aceito a caricatura do homem capitalista, como é feito.

Roberto Bastos
Boa noite a todos

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Presídios lotados.


Saudações honrados leitores.

Os eventos recentes de confrontos nos presídios mostrou dois quadros correntes nestas instituições de tutelagem de marginais e meliantes.
Sendo o primeiro quadro o poder do crime organizado e suas facções nos presídios ditando a vida no Brasil e impondo a cultura do crime na sociedade. Desta forma a sociedade vive refém do medo e da desorganização das instituições, mas não devemos nos deixar tiranizar por tais meliantes, pois eles são os reclusos, tirados de nosso convívio devido as suas ações criminosas e ofensivas.

O segundo quadro é a super lotação nas celas presidiárias, o que nos leva a seguinte pergunta: Por que estão tão lotadas. E assim vem a resposta: Há muita gente realizando crimes. Este fato nos leva ao primeiro quadro, justamente no ponto em que ocorre a imposição da cultura do crime na sociedade, despertando o sentimento bestial de pessoas cometerem os mais atrozes crimes em virtude do sentimento de impunidade, do discurso do "cuidadinho" e do prazer da realização do mal pelo próprio mal.
Pois, o crime tem as suas consequências que não são positivas e nada melhor do que o isolamento para meliantes, a fim de serem retirados da sociedade e de nos proteger.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Família e sociopolítica: a Justiça, a corrupção e nossos filhos.


A Família e a sóciopolítica estão intimamente ligadas, pois a Família é considerada como a “célula-máter” social, que por sua vez irá travar uma coexistência com todas as outras famílias e pessoas, formando assim a sociedade. Com isso surge a necessidade de ordem e regras para gerir a convivência entre famílias e pessoas, ou seja, a sociedade.[1]

Segundo a professora Edília Coelho Garcia, em sua obra “Educação Moral e Cívica para alunos do 2º grau” a Família é o primeiro agrupamento natural entre pessoas e uma instituição, em virtude de possuir uma estrutura definida.[2]

A família é um conjunto de pessoas que estão inseridos em uma sociedade, desta forma a convivência é regida por regras baseadas nos costumes, na ética, no Bom Senso e na manifestação das virtudes.
Na política a virtude que a rege é a Justiça, que segundo Platão é dar a cada um o que é devido de acordo com sua natureza e mérito.[3] O que não é ensinado nas famílias, pois ensina-se o contrario através da errônea rede de proteção da família, que protege os filhos quando cometem crimes, corrupções e atos levianos que comprometem o bem estar, o respeito e a convivência. Sob o discurso de “amar” os filhos, contudo esta é uma atitude baseada manutenção do mau caráter e na busca de confundir, de forma intencional, o bem e o mal, a fim de justificar suas ações errôneas e suas emoções bestiais.[4]


Cada vez mais os filhos se tornam delinquentes e vândalos que movidos por suas animalidades, objetivos imediatistas e inescrupulosos e desejos por destruição proliferam em nossa sociedade, com o respaldo dos pais que fizeram destes filhos um “Troféu de uma noitada de prazer” e não lhes ensina o que é o correto e o errado. Ptah-Hotep havia dito uma Vez:

“Se teu filho comete injustiças, se não obedece teus desejos, se abandona a disciplina, se seus atos arruínam tua casa, se protesta contra tudo o que dizes, deixa-o, posto que não é teu filho, não nasceu de ti.”

Porém o jovem professor Carlos, amigo deste colunista que vos escreve, afirmou que:

“Hoje em dia os pais deveria ir para a Escola para se educarem.”

Portanto, honrados leitores fica esta mensagem para a sociedade, que mergulhou em corrupção e que cria gerações perdidas de delinquentes juvenis e seres desrespeitosos.

Notas e referências bibliograficas:

[1] GUZMÁN, Délia Steinberg – O Jogos de Maya – Edições Nova Acrópole – Belo Horizonte – M.G.. - Pág. 113. PLATÃO – a República – Editora Martin Claret. – São Paulo – S.P.. - Págs. 25.
[2] GARCIA, Edília Coelho – Educação Moral e Cívica: para alunos do 2º grau – Lisa – Livros Irradiantes S.A. – São Paulo – S.P.. - Pág. 66.
[3] PLATÃO – Op. Cit. - Págs. 16, 17, 39.
[4] HSING, Yun –O Valor da Verdade: entre a ignorância e a iluminação – Escrituras Editora e distribuidora Ltda – São Paulo – S.P. - Pág. 108.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Crítica aos críticos da Filosofia.

As pessoas  criticam a Filosofia e a sua importância na sociedade, em virtude de suas paixões oclocraticas. Neste artigo criticamos estes críticos da Filosofia.
O que é Filosofia? A Filosofia é o amor ou a amizade pela sabedoria. Contudo não é uma ciência, mas uma disciplina do pensamento e uma busca constante pela compreensão sobre a natureza essencial das coisas, dos fenômenos e suas manifestações. [1]

 Desta forma ela é a mãe das ciências, pois realiza a iniciação da verdade, através, da investigação dos fenômenos, do sentido das palavras, da essência dos seres, das coisas. Mas, muito mais do que isso a Filosofia tem um compromisso com a vida Moral e a vida interior, assim como, em um nível mais imediato com o processo civilizatório de uma sociedade VERDADEIRAMENTE HUMANA.[2]
 
Sendo assim, a Filosofia é uma ferramenta e uma força racional, na construção de uma sociedade virtuosa, que através das virtudes as pessoas realizem suas vocações e alcancem suas auto-realizações.[3] 
Contudo, a Filosofia tem sido alvo de ataques, escárnios e desprezos por parte da plebe, dos pseudo-intelectuais de esquerda, dos corruptores, dos fanáticos religiosos e dos “agentes da Matrix”.[4]
 
A plebe odeia a Filosofia por estarem apaixonados por suas bestialidades e apegados aos prazeres ilusórios e materialistas.[5] 
Os fanáticos religiosos a odeiam em virtude do amor e da valorização da ignorância, além do estreitamento da inteligência prática, de visão deturpada de mundo e do ódio pelo diferente. Este grupo tem sido visivelmente dominante nesta sociedade.[6] 
Intelectuais de esquerda e corruptores são aqueles que tentam e conseguem alterar ao seu bel-prazer o conceito da Filosofia. Sendo os primeiros dirigidos, os seus discursos, para a ideologia político-partidária, mais precisamente para as esquerdas (comunismo, socialismo, e oclocracia). São pessoas que colocam a Filosofia de forma deturpada, através da dialética, para conquistar adeptos ou culpabilizar os outros ou gerar o separativismo social, através das lutas de classes.
 
Os corruptores são diversos, pois podem desqualificar a Filosofia e os filósofos, a fim de lucrar com o estado de barbárie atual e questionar a Filosofia, mais precisamente a sua “utilidade”, ou seja, o Utilitarismo, criticado por Sócrates e por Cícero.[7]

Esses “agentes” (intelectuais esquerdopatas e corruptores) supra citados são os “agentes da Matrix”, pois como foi explicado no filme Matrix, qualquer um é um potencial agente do sistema vigente, que irá defende-la, por paixão e apego ao Modus Vivendi em que nos encontramos hoje, assim como foi explicado por Platão em sua “Alegoria da Caverna” em que os cativos matam o filosofo. Para estes homens fadados ao eterno torpor ilusório na sua “Caverna”, nas garras de Maya, aonde sua consciência adormece, viver é sobreviver e pensar dá trabalho.[8]
 
Todavia, o pior ataque realizado a Filosofia é o “Utilitarismo”, pois manifesta uma desonestidade moral e cívica por parte dos atacantes, que têm compromisso com o oportunismo, o imediatismo e com a manutenção da ignorância vigente na sociedade, remetendo o povo, carente de virtudes para alcançar a grandiosidade do Caráter, a inteligência prática e regressivamente a bestialidade.[9]
 Sendo assim a Filosofia tem como missão humanística elevar o homem comum a grandiosidade do Caráter fomentando a virtude, a integração com a nossa essência e inserindo a sociedade no caminho da civilização.
Notas e referências bibliograficas:

[1] GUZMÁN, Délia Steinberg – Otimismo e Filosofia – Edições Nova Acropole - Belo Horizonte – M.G. – 2009 – pág. 7. LIVRAGA, Jorge Angel – Nós, Filósofos Acropolitanos - Edições Nova Acropole - Belo Horizonte – M.G. – 2010 – pág. 7. FERACINE, Luiz – Cícero: O maior filosofo latino - Edições Escala – Jardim das Laranjeiras – S.P. – 2011 – pgs. 19 e 20.
[2] GUZMÁN, Délia Steinberg – Os Jogos de Maya – Edições Nova Acropole - Belo Horizonte – M.G. – 2011 – págs. 43, 180 à 183. FERACINE, Luiz – Op. Cit.– pgs. 18. GUZMÁN, Délia Steinberg – Filosofia para Viver – Edições Nova Acropole - Belo Horizonte – M.G. – 2012 – pág. 24. GRACIAN, Baltasar – A Arte da Prudência – Editora Martin Claret – São Paulo – S.P. – 2006 – págs. 25, 26 e 42.
[3] N. A. (nota do Autor) – Pirâmide das Necesidades de Abrahan Maslow, que cita e classifica as necessidades dos seres humanos.
[4] N. A. (Nota do Autor) – O filme Matrix é baseado na Alegoria da Caverna descrito por Platão.
[5] FERACINE, Luiz – Op. Cit. - pgs. 69. GRACIAN, Baltasar – Op. Cit. – Editora Martin Claret – São Paulo – S.P. – 2006 – págs. 84, 93 e 94.
[6] GUZMÁN, Délia Steinberg – Filosofia para Viver – Edições Nova Acropole - Belo Horizonte – M.G. – 2012 – págs. 97 à 99.
[7] GUZMÁN, Délia Steinberg – Filosofia para Viver – Edições Nova Acropole - Belo Horizonte – M.G. – 2012 – págs. 100 e 103. FERACINE, Luiz – Op. Cit. - págs. 69 à 71, 75, 77 à 80.
[8] PLATÃO – A República – Editora Martin Claret – São Paulo – S.P. – 2000 – págs. 210 à 212.
[9] CÍCERO, Marco Túlio, Dos Deveres (Tomo III)  - in FERACINE, Luiz – Op. Cit. - págs. 121 à 127.

terça-feira, 26 de julho de 2016

Brava gente paulista.

Após ter sido realizado o plebiscito na Grã- Bretanha, o povo britânico optou por sua saída da União Européia, outros grupos separatistas se manifestaram por suas saídas de seus países, são regiões, províncias e Estados insatisfeitos com suas situações desconfortáveis, pois estas regiões são exploradas pela capital e por outras regiões, pois ocorre uma injustiça.
 
Quando me refiro em injustiça, devemos ter em mente que Justiça é dar a cada um, o que lhe é devido de acordo com sua natureza e mérito. Por sua vez, Mérito é a criação de valor, com ênfase na virtude e nos valores éticos e morais, que geram este valor, que traz benefícios para as pessoas e para a sociedade, promovendo movimento de energias, auto-realizações, admiração, sabedoria e virtudes.
 
 
 
Desta forma a injustiça é o contrário deste conceito, que no caso de São Paulo, que movimenta a economia e ajudou a construir o Brasil. Contudo, São Paulo se caracteriza, entre outros Estados brasileiros, como um celeiro de pessoas criativas e empreendedores, que em contrapartida acaba atraindo a repulsa e o ódio de outros Estados, com exceção dos Estados sulistas.
 
Provavelmente este fenômeno ocorre em virtude de seu lema: “PRO BRASILIA FIANT EXIMIA”, ou seja, pelo Brasil, faça-se o melhor. Que é levado a sério e a risca. Pois sempre tiveram uma atitude empreendedora, expansionista e forte.
 
Economicamente São Paulo tem um PIB (Produto Interno Bruto) maior do que a Polônia. Pois, segundo alguns geógrafos, historiadores, economistas e pessoas com experiência de vida o Estado de São Paulo não possui riquezas, porém é a luta contra a carência e o estado de pobreza que os faz movimentar-se na busca do progresso e auto sustentabilidade financeira.
 
Desta forma, São Paulo, colabora com taxas muito altas que sustentam o país, sendo seguido, estranhamente, pelo Estado do Rio de Janeiro. Embora o presente autor se sinta na obrigação de defender a Região Sul do Brasil, que também se sente explorada pelo país, não será aprofundada a observação neste presente artigo. Desta forma observamos um cenário de insatisfações e de desaparecimento do sentimento de pertença ao Brasil. Graças aos governos esquerdopatas comprometidos com a oclocracia e com a formação da U.R.S.A.L. (União das Repúblicas Socialistas da América Latina).
 
 
 
Portanto, o sonho Brasil e sua unidade territorial esta em cheque, assim como a instituição conhecida como República, e se faz necessário compreender a saída de povos do país e a formação de outros Estados mais fortes e vigorosos comprometidos com a aristocracia e a felicidade de seus povos residentes e empreendedores.
 

quarta-feira, 29 de junho de 2016

MUDANÇA DE RUMO.


Honrados Leitores.

Venho através desta postagem avisar aos meus leitores e seguidores sobre a mudança que pretendo realizar, em virtude do lançamento do livro. Pois, agora me lanço em outros projetos para além das crônicas semanais ou periódicas, pois as idéias brotam e com elas os projetos.

Muitos deles são historiografias, tratados e romances. Porém, permanecerei fiel aos artigos que escrevo para os Blogs, dentro deles, pois os demais projetos precisam nascer, serem colhidos e os artigos continuarão, pois as angústias cotidianas permanecem e precisam ser postas em discussão, a fim de serem sanadas ou encaminhadas para uma mobilização de energias e ações corretas.


Desta forma algo mudará, pois a Roda da Vida gira, circula e se movimenta. Como Van Gogh, que pintava por pintar, pelo amor a sua vocação, o presente autor escreve por escrever, pelo amor a civilização.

quinta-feira, 19 de maio de 2016


Convido aos meus leitores e seguidores para o lançamento do meu primeiro livro: